Secretário-Geral da ONU pede transformação vital dos sistemas alimentares

Para comemorar o Dia Mundial da Alimentação, celebrado no sábado (16), o secretário-geral da ONU, António Guterres divulgou uma mensagem dizendo que a data “não nos lembra apenas a importância dos alimentos para todas as pessoas do planeta, mas também um apelo à ação para garantir segurança alimentar em todo o mundo”.

O chefe das Nações Unidas também salientou em seu discurso que atualmente, quase 40% da humanidade, cerca de três bilhões de pessoas, não têm dinheiro para uma alimentação saudável.
E como a fome, a desnutrição e a obesidade estão aumentando, os impactos econômicos da COVID-19 “tornaram a situação ainda pior”, disse ele, observando que a pandemia deixou mais 140 milhões de pessoas incapazes de ter acesso aos alimentos que precisam.

“Ao mesmo tempo, a maneira como produzimos, consumimos e desperdiçamos alimentos tem um grande impacto no nosso planeta. Exercendo uma pressão histórica sobre os nossos recursos naturais, clima e meio ambiente – e nos custando trilhões de dólares por ano”, alertou Guterres.
Referindo-se ao tema deste ano de que o poder de mudar está em nossas mãos, ele deixou claro que “nossas ações são o nosso futuro”.

 

Ações

No mês passado, o mundo participou da Cúpula dos Sistemas Alimentares da ONU, que estabeleceu o cenário para transformar os sistemas alimentares em todos os lugares a fim de cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030.

O chefe da ONU lembrou que, durante a Cúpula, “os países assumiram compromissos ousados” para tornar as dietas saudáveis mais baratas e acessíveis e para tornar os sistemas alimentares “mais eficientes, resilientes e sustentáveis em cada etapa”.

“Todos nós podemos mudar a forma como consumimos alimentos e fazer escolhas mais saudáveis – para nós mesmos e para o nosso planeta”, disse o secretário-geral. “Há esperança para os nossos sistemas alimentares.”

 

Agroalimentar

Um sistema agroalimentar compreende todas as atividades relacionadas com a produção, processamento, distribuição, preparação e consumo de alimentos.
De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), nós nos tornamos parte desta cadeia a cada vez que comemos: “Os alimentos que escolhemos e a forma como produzimos, preparamos, cozinhamos e armazenamos nos tornam uma parte integrante e ativa da forma como funciona um sistema agroalimentar”, explica a agência.

Em um sistema agroalimentar saudável e sustentável, as prateleiras dos mercados locais são abastecidas com alimentos nutritivos, menos é desperdiçado e a cadeia de abastecimento é mais resistente a intempéries, como condições meteorológicas extremas, picos de preços ou pandemias - tudo sem piorar a degradação ambiental ou as mudanças climáticas.

“Na verdade, os sistemas agroalimentares sustentáveis proporcionam segurança alimentar e nutrição para todos, sem comprometer as bases econômicas, sociais e ambientais, para as próximas gerações”, explica a FAO. “Eles levam a uma melhor produção, melhor nutrição, melhor ambiente e melhor vida para todos”.

Receba novidades no seu e-mail

Ipgs nas redes sociais