Iniciativa internacional equipa escolas da América Latina e do Caribe para garantir alimentação segura a estudantes

A volta às aulas durante a pandemia representa para muitos estudantes também a oportunidade de garantir uma refeição nutritiva e saudável. No entanto, a realidade desse retorno presencial às escolas, em todo o mundo, tem sido marcada pela preocupação com a segurança, em especial no manuseio, na conservação e na preparação da alimentação escolar.

Com o objetivo de garantir a segurança de milhões de crianças, assim como dos alimentos por elas consumidos no ambiente escolar, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores (MRE) e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) organizaram ações no âmbito da “Estratégia conjunta de fortalecimento de Programas de Alimentação Escolar Sustentáveis (PAES) na América Latina e Caribe (ALC) - ambiente seguro durante e pós pandemia”.

A iniciativa está sendo implementada junto à Rede de Alimentação Escolar Sustentável (RAES), criada pelo governo do Brasil, em 2018, no marco da Década de Ação pela Nutrição das Nações Unidas (2016-2025). Seu objetivo é apoiar os países parceiros na implementação e na reformulação de programas de alimentação escolar, com base no acesso e na garantia do direito humano à alimentação adequada.

 

América Latina

No dia 13 abril, já havia sido realizado o evento virtual de finalização da entrega de kits de higiene para combate à Covid-19 em escolas de seis países da América Latina (El Salvador, Guatemala, Honduras, Paraguai, Peru e República Dominicana). A cerimônia contou com a presença de cerca de 80 participantes, entre eles, representantes de cada país e autoridades do Governo brasileiro e dos organismos parceiros.

O diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), o embaixador Ruy Pereira, abriu a cerimônia lembrando que a conclusão dessa primeira fase da estratégia conjunta refletiu, efetivamente, o novo sentido do verbo cooperar, especialmente no contexto da pandemia. O diretor destacou que, no atual e complexo cenário, o tema da alimentação escolar ganha ainda maior relevância nas decisões estratégicas de cunho internacional.

“Em nossa Cooperação Sul-Sul Trilateral com Organismos Internacionais, o tema da alimentação escolar sempre foi considerado prioritário e fundamental para o combate à fome, para o desenvolvimento econômico, por meio da dinamização de cadeias produtivas vinculadas à agricultura familiar, e também para a promoção do Direito Humano à Alimentação”, disse o embaixador.

O representante da FAO no Brasil, Rafael Zavala, afirmou que a cooperação entre o Governo do Brasil, por intermédio da ABC e do FNDE, com o PNUD, com a FAO e com governos dos países beneficiários cristaliza a solidariedade e dá um novo sentido para a cooperação no continente.

"É um forte grito para que os países priorizem e impulsionem os programas de alimentação infantil no âmbito escolar como políticas públicas de espectro amplo, onde, além de se distribuírem alimentos saudáveis nas escolas, se promova a inclusão econômica, mediante a compra pública dos produtos da agricultura familiar, a inclusão social, através da participação dos pais de família e das comunidades; e que se impulsione a criação de empregos - principalmente para mulheres".

 

Caribe

Também ocorreu entrega dos kits para países do Caribe (Belize, Granada, Guiana, Santa Lucia, São Vicente e Granadinas), no dia 20 de abril, e contando com a presença dos embaixadores(as) do Brasil nas capitais caribenhas.

A coordenadora-geral do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), do FNDE, Karine Santos, falou sobre a importância da estratégia conjunta no marco do fortalecimento dos Programas de Alimentação Escolar na América Latina e Caribe, reforçando uma visão geral de como o PNAE atua em diferentes linhas de frente.

Ela explicou que o programa visa apoiar os países em suas políticas de alimentação escolar, por meio de diversas ações, como troca de experiências, cursos na modalidade EAD, eventos “online”, além do reforço contínuo para a implementação dos objetivos que compõem as escolas sustentáveis, sendo um deles a atenção à infraestrutura e a provisão de equipamentos e utensílios de cozinha para as escolas, eixo sobre o qual a ação conjunta se encaixa.

“Foi sobre esse item da infraestrutura que nós refletimos e, a partir de uma decisão diante do cenário da pandemia, no início de 2020, nós entendemos que seria importante avançar com esse tema dentro do projeto da cooperação com a FAO e o PNUD e, por isso, começamos a planejar, preparar e executar esta ação ainda no ano de 2020”, disse a coordenadora-geral do PNAE.

 

 

*Com informações da agência de notícias da ONU

Receba novidades no seu e-mail

Ipgs nas redes sociais