INCA lança documento sobre hábitos de vida saudáveis e otimização de recursos públicos

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que a prática de atividades físicas pode gerar uma economia de até R$ 20 milhões para o Sistema Único de Saúde (SUS) com o tratamento de câncer em 2040. A previsão está no sumário executivo “Gastos federais atuais e futuros com os cânceres atribuíveis aos fatores de risco relacionados à alimentação, nutrição e atividade física no Brasil”, que foi lançado nesta sexta-feira (29) durante evento online.

O documento foi lançado durante o seminário “Atividade física no controle de câncer: recomendações e impactos econômicos no SUS”. O evento aconteceu na manhã desta sexta e foi transmitido pela TV INCA. O relatório pontua ainda que, para que essa estimativa de economia aconteça, é preciso que cerca de um terço da população brasileira realize ao menos 150 minutos de exercícios físicos por semana, até 2030.

Dados mostram ainda que o SUS investiu, em 2018, R$ 1,4 bi com três tipos de câncer: mama, colorretal e endométrio, que estão entre os mais incidentes no País e têm como um dos fatores de risco a inatividade física. Caso não ocorram mudanças e ações integradas, o INCA estima que os valores passem para R$ 2,5 bilhões em 2030 e R$ 3,4 bilhões, em 2040.

As despesas levam em consideração procedimentos hospitalares e ambulatoriais realizados no SUS em pacientes oncológicos com 30 anos ou mais.

“Os benefícios do movimento são para qualquer pessoa, independentemente, de atingir a meta de 150 minutos por semana. Uma dica importante, para que seja algo natural, é buscar por práticas que dão prazer e que sejam feitas próximas de casa ou do trabalho. Essas ações valem para a prevenção de novos casos de câncer e também para quem está em tratamento ou já teve a doença”, afirma Fabio Carvalho, da Coordenação de Prevenção e Vigilância do INCA.

Durante o evento, também foi apresentado o “Guia Atividade Física e Câncer: recomendações para prevenção e controle”, elaborado por meio de parceria institucional entre o INCA, a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (Sboc) e a Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde (Sbafs).

“O INCA tem o papel de informar a população que o câncer, em boa parte dos casos, pode ser evitado. Estimular bons hábitos diários e mostrar os efeitos positivos da prevenção primária, que podem refletir na economia dos gastos do SUS, é o foco do nosso evento”, diz a diretora-geral do Instituto, Ana Cristina Pinho.

Receba novidades no seu e-mail

Ipgs nas redes sociais