Dia Internacional do Chá 2022: FAO enfatiza a necessidade de maior sustentabilidade

Por ocasião do Dia Internacional do Chá 2022, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) destacou a necessidade de maior sustentabilidade econômica, social e ambiental no setor do chá, com um papel-chave para empoderar mulheres e jovens e melhorar a segurança alimentar e nutricional.

"O setor do chá contribui para o desenvolvimento socioeconômico, pois representa uma importante fonte de emprego e renda para milhões de famílias pobres. Entretanto, ainda enfrenta vários desafios", disse o Diretor-Geral da FAO, QU Dongyu, em discurso durante a celebração.

Dongyu assegurou que este setor “precisa alcançar uma maior sustentabilidade, desde a folha do chá até a xícara”.

"A sustentabilidade ambiental implica o uso de inovações e métodos de produção que preservem os recursos para o futuro." A sustentabilidade também “precisa refletir o aspecto social do setor, empoderando mulheres e jovens e garantindo que a produção em toda a cadeia de valor respeite as normas e padrões sociais”, acrescentou o Diretor-Geral.

Durante a pandemia de COVID-19, a demanda por chá aumentou intensamente, impulsionada pelas compras para consumo doméstico. As informações de mercado compiladas pelo Grupo Intergovernamental da FAO (GIG) mostraram que o consumo de chá aumentou em todos os mercados, incluindo aqueles que tiveram uma tendência de queda no consumo per capita nos últimos anos.

Os dados mostraram um aumento na demanda por chá entre os jovens. Pesquisas destacaram que os jovens redescobriram o amor pelo chá durante o confinamento devido aos seus benefícios para a hidratação e o fator “sentir-se bem”.

A FAO destacou que o setor do chá pode desempenhar um papel importante na qualidade de vida e na restauração dos meios de subsistência de milhões de pessoas afetadas pelas complicações dos últimos dois anos.

A produção mundial de chá chega a mais de US$ 17 bilhões por ano, enquanto o comércio mundial de chá é estimado em cerca de US$ 9,5 bilhões, representando uma fonte significativa de receitas de exportação. Estima-se que os pequenos agricultores sejam responsáveis por 60% da produção mundial de chá. E o mais importante, o chá cria empregos produtivos e capacita as pessoas, especialmente as mulheres e suas comunidades.

 

O nível de preços e a volatilidade é outro desafio

Além da sustentabilidade, o setor também enfrenta o desafio do nível de preços e da volatilidade do mercado. Os preços internacionais do chá, em termos reais (ajustados pela inflação), vêm caindo ao longo das últimas quatro décadas, à medida que a produção cresceu mais rápido que a demanda.

“Também são necessárias medidas para resolver alguns dos problemas que afetam os pequenos produtores, considerando que eles representam 60% da produção global de chá”, disse QU.

A FAO enfatiza que, se as fazendas de chá em pequena escala quiserem permanecer viáveis em um ambiente de mercado cada vez mais competitivo, elas precisam inovar constantemente. As opções de marketing que foram exploradas, em particular pelo GIG sobre o chá, incluem aumentar o valor dos produtos por meio de padrões, chás especiais, inovação e promoção genérica. O setor do chá deve provar seu valor para obter preços mais altos.

O cultivo de chá é atraente para pequenos agricultores em muitos países de baixa renda porque cria empregos e renda ao longo do ano e requer, relativamente, pouco investimento, enquanto o risco de quebra de safra é geralmente pequeno. No entanto, os problemas que afetam os pequenos agricultores incluem preços baixos para produtos agrícolas, serviços de extensão fracos, canais de mercado limitados e acesso precário a crédito e tecnologia. Há uma necessidade urgente de fortalecer o ecossistema empreendedor dos pequenos agricultores. Pequenos produtores de chá podem suportar o impacto se não estiverem bem protegidos, alertou o GIG.

O Sr. QU observou que “precisamos fazer as coisas de forma diferente, adotar abordagens novas e inovadoras e agir” para que o setor do chá equilibre a necessidade de crescimento e os requisitos de sustentabilidade em todas as fases do processo de desenvolvimento.

 

O trabalho da FAO sobre o chá

O trabalho da FAO em relação à produção do chá está comprometido em alcançar um setor dmais sustentável. As atividades incluem o desenvolvimento de produtos de conhecimento e o fornecimento de dados e informações sobre os mercados e comércio, projeções de médio prazo para o mercado mundial e informações relevantes para a política do chá.

O Grupo intergovernamental sobre chá da FAO, um dos mais antigos grupos de commodities da FAO e um órgão subsidiário do Comitê de Problemas de Commodities (CCP), lidera esforços multilaterais em todos os aspectos do setor global de chá. Isso inclui esforços de coordenação para a harmonização de padrões, o desenvolvimento de promoção genérica do chá e o desenvolvimento de estratégias para adaptação e mitigação das mudanças climáticas.

Receba novidades no seu e-mail

Ipgs nas redes sociais