Crise na Ucrânia: o mundo ainda pode conter o impacto global na segurança alimentar com as políticas corretas, alerta o Diretor-Geral da FAO

A guerra na Ucrânia afetará os consumidores em todo o mundo, pois os aumentos no preço dos alimentos, energia e fertilizantes colocam em risco as próximas colheitas globais, disse o Diretor-Geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), QU Dongyu.

Uma crise alimentar de escala global como a que foi vista em 2008 ainda pode ser evitada, afirmou Qu.

Em seu discurso para a 169ª sessão do Conselho da FAO, convocado para discutir as consequências da guerra na Ucrânia sobre a segurança alimentar global, Qu enfatizou a importância de manter o funcionamento das cadeias globais de abastecimento e destacou o trabalho da FAO na área.

A reunião foi realizada quando os preços dos alimentos registraram um aumento de 12,6% em relação a fevereiro, atingindo um novo recorde histórico em março, com os preços dos cereais e óleos vegetais subindo, de acordo com o mais recente Índice de Preços de Alimentos da FAO.

"Os preços de alimentos básicos, como trigo e óleos vegetais têm subido ultimamente, impondo custos extraordinários aos consumidores globais, principalmente os mais pobres", disse Qu. E com os preços da energia subindo em paralelo com os preços dos alimentos, "o poder de compra dos consumidores e países vulneráveis diminuiu ainda mais", enfatizou Qu

Os atuais altos preços dos fertilizantes, entretanto, podem levar a um menor uso de fertilizantes na próxima temporada e possivelmente além, com a perspectiva real de uma queda na produtividade dos alimentos levando a preços ainda mais altos.

“Isso potencialmente resultaria em pessoas ainda mais mal nutridas em 2022 e nos próximos meses”, alertou Qu.

 

Interrupções de fornecimento

A Rússia e a Ucrânia juntas respondem por quase 30% das exportações globais de trigo e cerca de 80% das exportações globais de girassol. A Rússia é o maior exportador de fertilizantes.

Isso significa que as interrupções no fornecimento nesses dois países serão sentidas nos sistemas agroalimentares globais, alertou o Diretor-Geral.

Embora a situação de abastecimento nos mercados globais de alimentos esteja apertada e haja motivos para preocupação, também há evidências de que os problemas atuais podem ser contidos e que uma crise global de alimentos, como a observada em 2008, poderá ser evitada, disse Qu.

Isso dependerá de evitar a repetição dos erros cometidos em 2008, quando foram impostas "políticas contraproducentes" ao comércio.

“A grande diferença em relação a 2008 é que hoje enfrentamos o grande risco de que nossa época de plantio para o próximo ano seja drasticamente afetada – em 2008 o choque foi devido à seca e não colocou em risco a próxima safra”, disse Qu .

"Não devemos encerrar nosso sistema de comércio global e as exportações não devem ser restringidas ou tributadas".

Outras propostas concretas da FAO incluem:

Implementação rápida de mapas detalhados do solo, auxiliando os países mais vulneráveis a usar seus fertilizantes de forma eficiente;

Planos de proteção social eficientes e bem orientados;

Melhoria das medidas de biossegurança nos países vizinhos da Ucrânia para minimizar a propagação da Peste Suína Africana e outras doenças dos animais;

Fortalecimento da transparência do mercado e do diálogo sobre políticas para minimizar interrupções, garantindo o funcionamento contínuo e o fluxo suave do comércio de alimentos e produtos agrícolas.

 

O trabalho da FAO na área

A FAO intensificou significativamente seus esforços desde o início do conflito ucraniano, reforçando sua equipe e publicando uma série de dados cruciais.

Informações preliminares apontam para uma tendência de piora na segurança alimentar, especialmente em áreas com combate ativo em andamento e com o maior número de pessoas deslocadas (até 15% da população total). Cerca de 20% das famílias carecem de dinheiro para atender às suas necessidades básicas de alimentos, com desbastecimento de pequenos animais de fazenda, e em alguns casos grandes ruminantes. Em termos de produção agrícola, os dados indicam disponibilidade limitada de insumos agrícolas críticos, incluindo sementes, fertilizantes, pesticidas, equipamentos, combustível e suprimentos para animais, decorrentes de uma combinação de questões logísticas e financeiras.

Um Plano de Resposta Rápida atualizado para maio-dezembro de 2022, com um pedido de financiamento de 115 milhões de dólares, está focado na manutenção da produção de alimentos, no apoio às cadeias de abastecimento agroalimentar e na coordenação do Cluster de Segurança Alimentar e Meios de Subsistência, para avaliações contínuas de segurança alimentar, mercados e cadeias de valor.

"Vamos trabalhar juntos hoje de maneira eficiente, coerente e técnica para garantir uma melhor produção, melhor nutrição, melhor ambiente e melhor qualidade de vida para todas as pessoas, sem deixar ninguém para trás –agora, mais do que nunca", disse Qu.

Receba novidades no seu e-mail

Ipgs nas redes sociais