Pós-Graduação em Nutrição em Brasília: saiba qual é a melhor área

Existe uma área de pós-graduação em Nutrição que em Brasília é especialmente interessante seguir: a Nutrição Esportiva.

A capital federal tem a maior proporção de habitantes praticando atividade física de forma regular no Brasil todo.

Dessa forma, o mercado da Nutrição Esportiva também é bem aquecido na cidade, assim como se encontra em expansão por todo o país.

No post de hoje, vamos comentar um pouco sobre essa relação, falar mais sobre aspectos da Nutrição Esportiva e também sobre especializações na área.

Veja tudo a seguir!

 

Sumário

Brasília é a capital brasileira com maior número percentual de pessoas praticando exercícios físicos

O que é a Nutrição Esportiva?

O uso de Nutracêuticos na Nutrição Esportiva

Mercado da Nutrição Esportiva no Brasil

Nutrição Funcional e Alimentos Funcionais

Alimentos benéficos ao coração

Especializações dentro da Nutrição Esportiva

Nutrição Esportiva: ênfase em alimentação e suplementação

Emagrecimento e Hipertrofia

FAQ


Brasília é a capital brasileira com maior número percentual de pessoas praticando exercícios físicos

Segundo o Ministério da Saúde, o Distrito Federal tem a maior proporção de habitantes que praticam atividade física regular.

A pesquisa reúne dados coletados em todas as capitais. E destaca que 49,6% dos moradores do DF fazem pelo menos 150 minutos de exercício semanalmente.

Os números da pesquisa se referem à atividade física no tempo livre – ou seja, descontados os exercícios por deslocamento, no trabalho ou em tarefas domésticas.

Depois, na lista do Ministério da Saúde, os maiores índices foram registrados em Palmas (45,9% da população total) e Macapá (45,5%).

Quem, ao contrário dos dados mencionados acima, não praticou nenhuma atividade física regular nos últimos três meses é classificado como inativo. No DF, esse índice está entre 10% e 11%, sendo também o menor do país.

Os bons números de atividade física têm impacto direto em outro indicador observado pelo ministério: a baixa quantidade de habitantes com sobrepeso e obesidade. Essa medição é feita com base no Índice de Massa Corporal (IMC), em cálculo que relaciona o peso e a altura de cada pessoa.

Nesse quesito, a capital federal se encontra na vice-liderança do ranking. Esse fato também demonstra como a população local também está bem informada e orientada quanto sua alimentação.

 

O que é a Nutrição Esportiva?

A Nutrição Esportiva é a especialidade da Nutrição que integra em seu conteúdo os conhecimentos da Educação Física.

Assim, podemos dizer que a Nutrição Esportiva é a área que investiga a relação direta entre a alimentação e a prática esportiva dos pacientes, com o objetivo de melhorar seu desempenho, e preservar a sua saúde da melhor forma.

Como há grande influência dos nutrientes consumidos no desempenho atlético, adequar a alimentação é uma forma muito eficaz de atingir melhores resultados.

As atividades físicas também provocam alterações fisiológicas e desgaste nutricional nos pacientes. Isso gera a necessidade de fazer uma compensação e correção por meio da alimentação.

Assim, a Nutrição Esportiva é entendida como a principal especialidade da Nutrição voltada ao atendimento pessoas que praticam atividade física regularmente, e que pretendem se valer de sua alimentação para impactar de forma positiva o seu desempenho atlético.

 

O uso de Nutracêuticos na Nutrição Esportiva

Os nutracêuticos representam uma descoberta da ciência que impactou diretamente a Nutrição Esportiva, e vem se tornando cada vez mais comum entre atletas.

Dessa maneira, também cresceu muito o volume de indivíduos utilizando esses produtos.

Por isso, de acordo com a evolução dos últimos anos, e a projeção para o futuro, os atletas farão cada vez mais uso de nutracêuticos em complemento à alimentação regular.

Como mencionado, os nutracêuticos são benéficos para todas as pessoas, sendo muito usados também por atletas, amadores ou de alta performance.

Os benefícios são muitos: redução da fadiga, aceleração da recuperação muscular, reforço muscular e prevenção de lesões, fortalecimento do sistema cardiovascular, ganho de energia e por aí vai.

Também é importante ressaltar que os exercícios físicos já estimulam o processo oxidativo, aumentando a produção de radicais livres.

Assim, a ingestão de nutrientes antioxidantes, por meio da alimentação ou de suplementos, pode proteger o organismo contra a ação prejudicial desses componentes.

 

Mercado da Nutrição Esportiva no Brasil

Por ser uma área popular dentro da Nutrição, e com um mercado de suplementação e alimentos para fins específicos que cresce a cada ano, a Nutrição Esportiva é uma tendência entre os profissionais e amadores do esporte.

Sendo uma ciência em constante transformação, somente os nutricionistas que possuem uma formação especializada na área saberão lidar de forma adequada com a demanda atual.

Atualmente, nutricionistas esportivos encontram diversas possibilidades para atuação, com um mercado aquecido e públicos variados: clubes esportivos, academias, escolas, e atendimento individual para pessoas que buscam melhorar sua capacidade física.

Da mesma forma, o mercado da Nutrição Esportiva tem se beneficiado da ênfase crescente em manter a forma e da cultura da academia. A prática de exercícios frequentes se tornou uma opção de estilo de vida para muitas pessoas.

No entanto, cabe ao nutricionista com especialização em Nutrição Esportiva orientar e elaborar uma dieta personalizada, levando em consideração o indivíduo de forma integral.

A atuação do nutricionista esportiva é diferente do atendimento de um nutricionista tradicional.

Seu foco principal é avaliar e compreender como o paciente gasta mais energia, quais nutrientes são essenciais para cada categoria e como melhorar a performance de atletas e praticantes de atividade física.

 

Nutrição Funcional e Alimentos Funcionais

O corpo humano necessita de certos micronutrientes para o seu funcionamento adequado, e essas vitaminas e minerais são cruciais para as funções fisiológicas básicas, como o metabolismo, o crescimento, o desenvolvimento e também para a prática esportiva.

Para o nutricionista ter mais autoridade e saber como tratar deficiências em um ou mais micronutrientes que possam levar a impactos prejudiciais à saúde e a doenças crônicas, a Nutrição Funcional se faz cada vez mais presente para um tratamento eficaz.

Quando a Nutrição Funcional de alta qualidade é aplicada de forma consistente, pode prevenir futuras doenças crônicas, melhorar a cognição em pessoas com demência, além de melhorar o estado geral de saúde dos pacientes, entre outros diversos benefícios.

E a base da Nutrição Funcional é formada pelos chamados alimentos funcionais.

O alimento funcional é aquele que possui compostos que atuam na prevenção de doenças e na melhoria da saúde humana.

Ou seja, são aqueles que produzem efeitos benéficos à saúde, além de agregar as suas funções nutricionais básicas, sendo compostos por vitaminas, minerais, carboidratos, e proteínas.

Existem muitos exemplos de alimentos funcionais, de distintos grupos alimentares e, assim, com diferentes propriedades benéficas à saúde. Um desses grupos principais, que é o que estamos destacando hoje aqui, é justamente o das frutas.

 

Alimentos benéficos ao coração

Sabemos que praticar atividades físicas é fundamental para manter o coração saudável.

Em complemento, também existem alguns alimentos específicos que trazem benefícios ao sistema cardiovascular.

Esses alimentos apresentam diferentes propriedades nutricionais benéficas ao sistema cardiovascular, fortalecendo a saúde e a condição física como um todo.

Vamos ver alguns destes alimentos e rápidas informações nutricionais abaixo:

• Peixes (principalmente de água frias) – Os peixes naturais de águas frias, como o salmão, são ricas fontes de ômega 3, que trazem diversos benefícios ao coração, principalmente ao equilíbrio do colesterol.

• Alho – O alho é um alimento que não é muito falado, mas também possui propriedades benéficas ao sistema cardiovascular. Isso ocorre principalmente por ter substâncias antioxidantes e que ajudam na dilatação dos vasos sanguíneos e também no controle da pressão arterial.

• Aveia – A aveia também traz benefícios ao coração. Seu consumo ajuda na redução da absorção das gorduras, pois é um alimento rico em fibras solúveis.

• Uva e suco de uva integral - Incluir uvas mais escuras ou o seu suco na dieta é outra ótima dica para proteger o coração. As uvas mais escuras possuem boa quantidade de resveratrol, flavonoides e ácidos fenólicos, elementos com ação antioxidante que ajudam a elevar as taxas do bom colesterol (HDL).

• Vinho tinto – O mesmo raciocínio também vale para o vinho. As uvas roxas também são matéria-prima do vinho tinto, que, se ingerido de forma moderada, pode ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares.

• Frutas vermelhas - Morango, framboesa e amora, por exemplo, são ricos em água e sais minerais, atuando como vasodilatadores que diminuem a pressão arterial. Alimentos de cor vermelha ajudam a controlar o colesterol e prevenir a aterosclerose, pois são ricos em antioxidantes, que combatem os radicais livres e evitam doenças inflamatórias que prejudicam o coração.

• Chocolate amargo - Estudos apontam que o chocolate amargo, a partir de 70% cacau, faz bem ao coração, sim! Essa delícia ajuda a normalizar a pressão sanguínea e impede processos inflamatórios e formação de coágulos. Além disso, é um poderoso antioxidante, pode diminuir o colesterol ruim e o risco de câncer. Só não pode exagerar! O consumo diário indicado é de 30 gramas.

• Maçã e alimentos com fibra solúvel - As fibras solúveis atuam na retirada do colesterol LDL (ruim) do sangue e estão presentes em cereais, legumes e frutas. A maçã é uma dessas frutas que contém uma grande variedade de nutrientes, como fibras, flavonoide, potássio e vitaminas do complexo B, C e E. A pectina (fibra solúvel) da fruta ajuda também a controlar a glicose.

• Tomate - O tomate é um alimento rico em licopeno, substância que ajuda a limpar as artérias e previne doenças crônicas e inflamatórias.

• Linhaça – A linhaça é uma semente rica em fibras e ômega-3, ajudando a reduzir o colesterol, melhorar a circulação do sangue e reduzir a inflamação.

• Oleaginosas - Castanhas, amêndoas, avelãs, nozes, amendoim e macadâmias pertencem ao grupos das oleaginosas, e são alimentos ricos em gorduras poli-insaturadas. As oleaginosas apresentam grandes quantidades de proteínas, fibras, selênio, cálcio, ferro, potássio, zinco, vitamina E, ácido fólico e magnésio. Contudo, é preciso ter cuidado com a sua ingestão em excesso, pois algumas podem possuir alto valor calórico.

• Espinafre – O espinafre é um excelente promotor da saúde cardiovascular. Seu consumo propicia uma ação antioxidante que ocorre através da vitamina C e do betacaroteno, que trabalham juntos em prol do coração e do sistema circulatório, impedindo a oxidação do colesterol. Também é indicado o consumo de outros alimentos da cor verde-escura, como brócolis, couve e agrião.

• Banana – Outro alimento que também é fonte de fibras solúveis é a banana, que ainda é rica em potássio, um mineral importante para o bom funcionamento da função muscular cardíaca.

• Abacate – O abacate é um alimento que é rico em gordura monoinsaturada, que é capaz de aumentar o colesterol bom e reduzir os níveis de colesterol ruim no sangue. Além disso, o abacate também é rico em carotenoides, potássio e ácido fólico, nutrientes que melhoram a circulação do sangue.

• Iogurtes – Há muito já vem sendo demonstrado que um intestino saudável, com boas quantidades de bactérias benéficas, diminui o risco de doenças cardíacas. O motivo é que elas melhoram a digestão de alimentos e absorção de nutrientes que incluem antioxidantes, vitaminas e fibras. Os iogurtes naturais carregam consigo probióticos, micro-organismos vivos que realizam justamente essas funções.

• Feijões - Os feijões também representam outro exemplo de alimentos ricos em fibras do tipo solúvel, aquelas que ajudam a formar o bolo alimentar e captar o LDL livre na circulação reduzindo

 

Especializações dentro da Nutrição Esportiva

Como mencionamos na introdução do post, hoje a área da Nutrição Esportiva se divide em diferentes segmentos de especialização.

Vamos conferir alguns deles abaixo:

 

Nutrição Esportiva: ênfase em alimentação e suplementação

A segunda especialidade que vamos apresentar aqui é a Nutrição Esportiva com ênfase em alimentação e suplementação.

Essa pós-graduação qualifica nutricionistas, educadores físicos e demais profissionais de áreas correlatas através do estudo dos aspectos fisiológicos e bioquímicos envolvidos no esporte, ampliando o entendimento acerca da alimentação e da suplementação como componentes desse processo.

Venha conferir aqui todas as informações referentes a essa especialização.

 

Emagrecimento e Hipertrofia

Por fim, há também a especialização em Emagrecimento e Hipertrofia.

Esse curso tem uma proposta inovadora e inédita no mercado nacional, combinando conhecimentos da Nutrição Esportiva com a Nutrição Estética, Nutrição Funcional, Nutrigenômica e muito mais.

Venha conhecer e saber mais sobre todas as informações referentes a essa especialização aqui.

Obrigado pela leitura e até o próximo post!

 

FAQ:

O que é um curso de especialização?

Uma especialização é uma das modalidades de curso de pós-graduação mais populares do Brasil. Chamadas muitas vezes apenas de “pós”, as especializações são cursos com normalmente duração entre 9 e 18 meses, com TCC opcional, que garantem ao aluno um diploma de especialista no final. São indicadas especialmente para profissionais que desejam aprimorar seu conhecimento em determinado assunto e a sua atuação prática.

Quais são as durações das especializações em Nutrição Esportiva?

A especialização em Nutrição Esportiva com ênfase em alimentação e suplementação tem duração de 12 meses, e a especialização em Emagrecimento e Hipertrofia de 9 meses.

Por que fazer pós-graduação em Nutrição se você mora em Brasília?

Fazer cursos de pós-graduação é indicado a todos os profissionais do país que desejam evoluir em suas carreiras. Em Brasília, o mercado da Nutrição é altamente competitivo. Quanto mais bem preparado e capacitado o profissional estiver, mais reconhecimento terá em seu trabalho.

Por que estudar Nutrição Esportiva?

A Nutrição Esportiva é uma das áreas com o mercado em maior expansão atualmente no Brasil, assim como já destacamos em Brasília. Se tornando especialista nessa área, o profissional abre uma grande possibilidade de atuação, como em academias, clubes esportivos profissionais e sociais, clínicas e consultórios particulares, por exemplo.

Por que estudar na Faculdade iPGS?

A Faculdade iPGS é já tem 14 anos de experiência no mercado da pós-graduação em Nutrição e Saúde. Nosso corpo docente possui mais de 300 professores, e a nossa instituição já qualificou mais de 50 mil profissionais por todo Brasil, sempre com um ensino de excelência.

 

Trilha de artigos com assuntos relacionados:

Saiba tudo sobre a Nutrição Esportiva e os seus segmentos

11 dicas de Nutrição Funcional para a prática clínica

Nutracêuticos e Nutrição Esportiva

7 áreas de especialização promissoras para o presente e o futuro da Nutrição

Anamnese Nutricional: todas as suas dúvidas respondidas aqui