Mindful Eating dentro do Comportamento Alimentar

A área do Comportamento Alimentar vem sendo cada vez mais pesquisada e estudada. Dentro desse campo, um dos principais conceitos é o de Mindful Eating, prática fundamental para melhorar a relação de consumo alimentar.

Por isso, o post do nosso blog hoje é sobre esse assunto. Vamos falar sobre outros conceitos importantes relacionados, como comer emocional, abordaremos também a prática do Mindful Eating e também mostraremos como aprofundar o seu conhecimento sobre esse assunto.

Confira o post completo abaixo!

 

Sumário

Comer emocional

Conceito de Mindful Eating

Práticas de Mindful Eating

Nutricionismo

Especialização em Comportamento Alimentar

FAQ

 

Comer emocional

Realizar a alimentação, para nós seres humanos, é muito diferente do que para os outros animais.

Não comemos somente com a intenção de sobreviver, nos nutrir ou apenas para satisfazer a fome física.

Algumas vezes, recorremos à comida em busca de conforto, alívio do estresse ou para recompensar a nós mesmos.

Isso é ruim?

De vez em quando, usar comida como estímulo, recompensa ou para comemorar não é necessariamente uma coisa ruim. Muitos de nós também recorremos à comida em busca de conforto e alívio do estresse.

Entretanto, quando comer é o seu principal mecanismo de enfrentamento emocional - quando seu primeiro impulso é abrir a geladeira sempre que está estressado, chateado, com raiva, solitário, exausto ou entediado - você fica preso em um ciclo perigoso. Nele, o verdadeiro sentimento acaba não sendo abordado, sendo sufocado pela comida.

Isso, chamamos de comer emocional – que é usar a comida para se sentir melhor e preencher necessidades emocionais.

Contudo, o ponto é que a fome emocional não pode ser saciada com a comida. Comer pode parecer bom no momento, mas os sentimentos que desencadearam o ato de comer ainda estarão lá.

Muitas vezes você se sente pior do que antes, por ter ingerido algo que, além de não mudar a situação, não estava nos planos de sua rotina alimentar.

Uma característica peculiar da fome emocional é recorrer a alimentos de alta palatabilidade e densidade energética (mais gordurosos ou açucarados). Sabemos que de forma transitória e muito rápida eles acionam áreas de nosso cérebro responsáveis pelas sensações de prazer.

Tudo isso ainda pode piorar se você estiver em meio a uma dieta restritiva. São exatamente estes alimentos que estarão fora de sua dieta, e você terá um segundo motivo para recorrer a eles.

 

Conceito de Mindful Eating

Dentro do Comportamento Alimentar, como já mencionado, um dos principais conceitos é o Mindful Eating, que por sua vez, deriva de um conceito mais amplo chamado Mindfulness.

Resumidamente, Mindfulness pode ser traduzido como “Atenção Plena”, e expressa a ideia de um estado mental de concentração total nas atividades e experiências que estamos realizando.

Assim, podemos melhor perceber sensações corporais e emocionais durante nossas atividades, sem fazer as coisas ou reagir a elas ‘’no automático’’.

Nesse contexto, Mindful Eating se refere ao conceito de Mindfulness aplicado à nossa alimentação. Mindful Eating, portanto, é a ideia de concentração total na refeição que estamos realizando, sem distrações externas, e assim aproveitarmos de maneira plena a experiência da alimentação.

Dessa maneira, ao construir uma relação mais harmoniosa com a comida, sentimos naturalmente a sensação de saciedade e também fazemos escolhas mais conscientes de alimentos, não nos deixando levar pelas nossas emoções na hora de comer.

 

Práticas de Mindful Eating

Assim, a prática do Mindful Eating contribui de maneira fundamental para o tratamento de desordens emocionais, como depressão ou estresse, que impactam diretamente na maneira como nos alimentamos.

Devemos ter atenção total durante todas as fases do processo de alimentação, desde o momento em que escolhemos a nossa comida, prestando atenção na quantidade e no valor nutricional, até o momento de terminar a refeição.

Algumas dicas para praticar Mindful Eating incluem prestar atenção no cheiro e sabor dos alimentos, comer sempre de maneira confortável, mas sentado na mesa, não utilizar o telefone celular ou assistir televisão durante a refeição, botar pouca quantidade de comida na boca e mastigar muito bem cada vez, e até comer em silêncio e com os olhos fechados, pensando em como os alimentos do prato foram produzidos e quais valores nutricionais eles irão agregar.

Portanto, tenha uma relação mais harmoniosa com a comida praticando algumas técnicas de Mindful Eating, pois os benefícios são inúmeros.

 

Nutricionismo

O Nutricionismo é um termo cunhado pelo pesquisador australiano Gyogy Scrinis. Sua etimologia traz a junção das palavras nutrição e reducionismo.

O intuito do conceito é definir a abordagem que resume a alimentação apenas aos nutrientes, seja a sua presença, seja a sua ausência, englobando também os seus potenciais malefícios ou benefícios em nossa saúde, além de alertar sobre o movimento de restringir a ciência da nutrição a fatores biológicos, ignorando todas as outras dimensões do comer.

Existe uma lição que sempre gostamos de enfatizar dentro do nosso programa de pós-graduação em Comportamento Alimentar: comer é um ato biopsicosociocultural, ou seja, é influenciado e composto por várias dimensões de nossa vida.

A abordagem reducionista do “Nutricionismo” leva profissionais e pacientes a ignorarem aspectos como o meio ambiente, prazer, cultura, acesso, emoções, memórias afetivas, economia, entre outros tantos que influenciam diretamente neste processo.

Além disso, esse conceito também pode fazer com que as pessoas possam passar a desenvolver até um certo medo de comida, de coisas básicas do dia-a-dia.

Essa ideia pode até acabar fomentando o terrorismo nutricional, e distorcendo o conceito de alimentação saudável com conceitos sem evidência.

 

Especialização em Comportamento Alimentar

A Faculdade iPGS possui um curso de especialização inteiramente dedicado ao Comportamento Alimentar. Lá, abordamos com profundidade tudo de mais relevante ligado à fome emocional, além de muitos outros mais.

Por isso, há vários motivos para você conhecer mais sobre o curso:

A especialização em Comportamento Alimentar proporciona ao aluno o conhecimento adequado e necessário para instrumentalizar nutricionistas e demais profissionais para realizar uma mudança efetiva e natural no comportamento alimentar dos pacientes.

A abordagem do programa é fundamentada em estratégias contemporâneas de aconselhamento nutricional, entrevista motivacional, técnicas de terapia cognitivo-comportamental, técnicas do comer intuitivo e do comer consciente, que possibilitam ao profissional conduzir no paciente o desenvolvimento de um saudável comportamento alimentar durante as consultas.

Entre as disciplinas estudadas no curso, estão Fundamentos do Comportamento Alimentar, Psicologia Aplicada ao Comportamento Alimentar, Aconselhamento Nutricional nos Ciclos da Vida, Transtornos do Comportamento Alimentar, e o Tratamento do Comportamento Alimentar em Doenças Crônicas.

Por estar gerando cada vez mais interesse no público, o Comportamento Alimentar é uma especialidade com uma demanda crescente de profissionais no mercado.

Se você pensa em fazer uma especialização para alavancar a sua carreira ainda mais, e deseja também agregar qualidade de atendimento e conhecimento científico, em um segmento da Nutrição que segue em expansão, o Comportamento Alimentar é uma excelente possibilidade.

 

FAQ

O que significa Mindfulness?

Mindfulness é um conceito muito em voga atualmente, e pode ser traduzido como “atenção plena”.

E o que significa Mindful Eating?

Mindful Eating, por sua vez, é o conceito de Mindfulness aplicado à alimentação. Assim, seria algo como “se alimentar com atenção plena”, se dedicando a se concentrar e prestar atenção durante o ato de comer.

Qual é a duração da especialização em Comportamento Alimentar?

12 meses de duração.

Qual é a relação da Faculdade iPGS com o Comportamento Alimentar?

A nossa instituição tem uma relação profunda com a área de estudo do Comportamento Alimentar. Somos a maior referência de ensino deste tema no Brasil, por sermos responsáveis pela introdução do estudo dá área a nível de pós-graduação no país.