Inspirações e fatores de risco para o desenvolvimento de transtornos alimentares

Os transtornos alimentares são um problema bem presente na atual sociedade. Um fator de fomento desses transtornos é a influência crescente que perfis e sites ligados à magreza e exercícios físicos exercem nas pessoas, principalmente entre os jovens.

Por isso, o post do blog de hoje vai abordar justamente esse assunto. Vamos falar sobre os conceitos “thinspiration” e “fitspiration”, sobre as consequências que essas “inspirações” podem gerar à saúde e sobre estudos que abordam esses temas.

Confira o texto completo abaixo!

 

Sumário

Influências imagéticas

“Thinspiration” e "fitspiration"

As consequências das “inspirações”

Estudos sobre o tema

Aprofunde o seu conhecimento

Referências do texto

 

Influências imagéticas

As redes sociais estão cada vez mais presentes em nossas vidas. Você provavelmente já se deparou, ou até mesmo procurou algum perfil para lhe servir de inspiração para alguma coisa, seja a reforma da sua casa ou uma roupa para uma festa, certo?

Com a grande popularização da internet, a pesquisa que antes era obrigatoriamente realizada em revistas, hoje, bastam alguns cliques no celular e pronto.

Até mesmo na área da Saúde essa prática ganhou espaço. Isso tem pontos positivos, como a facilidade de encontrar bons locais e profissionais para o nosso cuidado.

Contudo, quando falamos de dieta, emagrecimento e padrões estéticos, isso também pode virar um grande problema.

 

“Thinspiration” e "fitspiration"

Hoje, muitos sites, contas e perfis se dizem “Thinspiration” e "fitspiration". Ou seja, em uma tradução livre, esses termos significam “inspiração da magreza” e “inspiração fitness”.

Entretanto, essas contas muitas vezes têm um efeito totalmente contrário ao que se pode considerar Saúde, pois se utilizam da promoção, apoio e até mesmo venda de comportamentos iguais aos que encontramos nos diagnósticos de transtornos alimentares.

Principalmente para a população mais jovem, que é a mais acometida por transtornos alimentares. Por isso, é preciso estar atento às buscas de informações na internet, para obter ajuda sobre qualquer coisa, pois seus efeitos podem ser justamente o contrário.

Com o aumento das cobranças por padrões estéticos, aumenta também toda a pressão para se encaixar naquilo que é considerado “bonito” e “atraente”, que também pode gerar consequências prejudiciais à saúde.

 

As consequências das “inspirações”

Um problema inicial é que esta “inspiração” normalmente está vinculada ao incentivo em ser uma pessoa magra ou repleta de músculos. As imagens desses sites e perfis mostram mulheres que estão abaixo do peso, geralmente objetificadas e vestindo poucas roupas.

Tipicamente, o “thinspiration” tende a mostrar mais imagens com corpos magros e objetificados, e o “fitspiration” tem imagens que mostram as pessoas como mais musculosas.

Estas imagens que normalmente vêm com as frases de 'inspiração' atribuídas a homens e mulheres abaixo do peso, acabam dando “dicas” sobre como manter comportamentos típicos de um transtorno alimentar.

A exposição a esses tipos de imagens e conteúdos pode fazer com que os jovens tenham ideias de beleza inatingíveis e irrealistas.

Pesquisas mostram que a exposição a imagens de magreza idealizadas diminui a satisfação com o corpo e aumenta o uso de práticas prejudiciais de controle de peso.

Essas “inspirações” podem ser imagens de corpos, citações para perda de peso e técnicas sobre os melhores exercícios para perder peso.

Essas contas estimularam os sites pró-ana e pró-mia que identificam os transtornos alimentares como uma escolha de estilo de vida, em vez de uma doença mental.

 

Estudos sobre o tema

Os pesquisadores de um estudo recente que avaliou jovens e seu uso de mídias sociais e selfies, examinou seus impactos sobre a percepção de peso e forma.

A pesquisa descobriu que havia níveis significativamente mais altos de supervalorização crítica de forma e peso, insatisfação corporal, restrição alimentar e internalização dos ideais de magreza nos adolescentes que acessam estes perfis e que compartilham mais selfies nas redes sociais regularmente.

Assim, há uma relação direta que também contribui para o aumento de distúrbios alimentares.

Dada a conexão entre os transtornos alimentares e as mídias sociais, as abordagens de prevenção e tratamento devem continuar a incluir a conscientização sobre a cultura da magreza e da dieta, e da objetificação dos corpos, além da defesa de mudanças nas regras de monitoramento das redes sociais.

O ativismo profissional e do consumidor nesse campo pode ser a mudança em direção a mensagens mais positivas e realistas a serem retratadas pela mídia, especialmente para os mais vulneráveis.

 

Aprofunde o seu conhecimento

A Faculdade iPGS possui um curso de especialização inteiramente dedicado ao estudo do Comportamento Alimentar.

Lá, abordamos com profundidade tudo de mais relevante ligado à fome emocional, além de muitos outros mais.

Por isso, há vários motivos para você conhecer mais sobre o curso:

A especialização em Comportamento Alimentar proporciona ao aluno o conhecimento adequado e necessário para instrumentalizar nutricionistas e demais profissionais para realizar uma mudança efetiva e natural no comportamento alimentar dos pacientes.

A abordagem do programa é fundamentada em estratégias contemporâneas de aconselhamento nutricional, entrevista motivacional, técnicas de terapia cognitivo-comportamental, técnicas do comer intuitivo e do comer consciente, que possibilitam ao profissional conduzir no paciente o desenvolvimento de um saudável comportamento alimentar durante as consultas.

Entre as disciplinas estudadas no curso, estão Fundamentos do Comportamento Alimentar, Psicologia Aplicada ao Comportamento Alimentar, Aconselhamento Nutricional nos Ciclos da Vida, Transtornos do Comportamento Alimentar, e o Tratamento do Comportamento Alimentar em Doenças Crônicas.

Por estar gerando cada vez mais interesse no público, o Comportamento Alimentar é uma especialidade com uma demanda crescente de profissionais no mercado.

Se você pensa em fazer uma especialização para alavancar a sua carreira ainda mais, e deseja também agregar qualidade de atendimento e conhecimento científico, em um segmento da Nutrição que segue em expansão, o Comportamento Alimentar é uma excelente possibilidade.

 

Referências do texto

- Tsukayama, H. (2015, November 03). Teens spend nearly nine hours every day consuming media. Retrieved January 10, 2018, from https://www.washingtonpost.com/news/the-switch/wp/2015/11/03/teens-spend-nearly-nine-hours-every-day-consuming-media/?utm_term=.7c55058c0668;

- Greater Social Media Use Tied to Higher Risk of Eating and Body Image Concerns in Young Adults. (n.d.). Retrieved January 10, 2018, from http://www.upmc.com/media/NewsReleases/2016/Pages/sidani-eating-disorder.aspx;

- McLean, S. A., Paxton, S. J., Wertheim, E. H., & Masters, J. (2015, November 23). Selfies and social media: relationships between self-image editing and photo-investment and body dissatisfaction and dietary restraint. Retrieved January 10, 2018, from https://jeatdisord.biomedcentral.com/articles/10.1186/2050-2974-3-S1-O21;

- Shalby, C. (2014, March 01). Fighting social media ‘thinspiration’ with messages of self-acceptance. Retrieved December 13, 2017, from https://www.pbs.org/newshour/health/thinspiration-ban-social-media-doesnt-prevent-eating-disorders;

- de Vries, D.A., Peter, J., de Graaf, H. et al. J Youth Adolescence (2016) 45: 211. doi:10.1007/s10964-015-0266-4;

- Markey, C. N. (2010). Invited commentary: Why body image is important to adolescent development. Journal of Youth and Adolescence, 39, 1387–1391. doi:10.1007/s10964-010-9510-0;

- Boepple L, Thompson JK, A content analytic comparison of fitspiration and thinspiration websites. Int J Eat Disord 2016 Jan;49(1):98-101;

- Spettigue, W., & Henderson, K. A. (2004). Eating Disorders and the Role of the Media. The Canadian Child and Adolescent Psychiatry Review, 13(1), 16–19;

- Talbot, C. V., Gavin, J., Steen, T. V., & Morey, Y. (2017, September 26). A content analysis of thinspiration, fitspiration, and bonespiration imagery on social media. Retrieved December 13, 2017, from https://jeatdisord.biomedcentral.com/articles/10.1186/s40337-017-0170-2;

Organização: Rafael Marques Soares - Coordenador da Pós-graduação em Comportamento Alimentar - IPGS