Saiba tudo sobre Fitoterapia Clínica Integrativa

A Fitoterapia vem sendo cada vez mais estudada e requisitada por todos no Brasil.

Por isso, o nosso post do blog de hoje é sobre esse tema!

Vamos falar sobre a Fitoterapia aplicada à Nutrição, medicamentos fitoterápicos, suas prescrições e muito mais.

Confira o post completo abaixo!

 

Sumário

Fitoterapia aplicada à Nutrição

Qual a finalidade da Fitoterapia?

O que se estuda em Fitoterapia

Quem pode exercer a Fitoterapia?

Porque se especializar em Fitoterapia

Aprofunde seu conhecimento

FAQ

 

Fitoterapia aplicada à Nutrição

Primeiramente, esse termo deriva do grego phyto, que designa “vegetal”, e therapeia, que se refere a “tratar, cuidar”. Dessa forma, a Fitoterapia consiste no uso de vegetais para tratamentos de saúde, sejam as plantas “in natura” ou sob a forma de medicamentos, que são os chamados fitoterápicos.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) define os produtos fitoterápicos como aqueles obtidos com o emprego exclusivo de matérias-primas provindas de ativos vegetais, cuja segurança e eficácia são validadas por meio de levantamentos etnofarmacológicos, de utilização, documentação tecno-científicas ou evidências clínicas.

Assim, a eficácia terapêutica da aplicação da Fitoterapia provém da combinação de seus constituintes bioativos, que podem agir entre si, ou mesmo na combinação com outras plantas.

Em relação à alimentação, a Fitoterapia deve ser usada pelos nutricionistas como parte integrante da terapia nutricional aplicada, sendo uma estratégia complementar à prescrição dietética elaborada.

Esta regulamentação é feita pela Resolução do CFN nº 556/2015, que estabelece a prescrição pelo nutricionista, de plantas “in natura” frescas, ou como droga vegetal nas suas diferentes formas farmacêuticas em uso exclusivamente oral.

 

Qual a finalidade da Fitoterapia

Como introduzido acima, o objetivo da Fitoterapia Integrativa é agregar plantas medicinais e remédios extraídos dessas plantas para tratamentos de saúde, incluindo relacionados à alimentação.

O uso de plantas para fins medicinais por parte da humanidade é uma prática muito antiga, que remete há milhares de anos.

Oficialmente, o uso de fitoterápicos como fonte de prevenção de doenças e tratamento de saúde passou a ser reconhecido pela Organização Mundial de Saúde em 1978.

Desde então, a popularidade dessas substâncias cresceu exponencialmente no mundo, incluindo no Brasil.

Por aqui, cada vez mais pessoas adotam essa prática para si. Segundo o Ministério da Saúde, dezenas de milhares de brasileiros fazem uso regular de fitoterápicos.

O próprio ministério possui uma lista das plantas medicinais do país e das substâncias medicinais que podem ser extraídas delas. Muitos desses medicamentos, inclusive, são ofertados à população nacional através do SUS.

 

O que se estuda em Fitoterapia?

A base da Fitoterapia são as plantas medicinais e os fitoterápicos derivados. Contudo, esse campo absorve muitos outros conhecimentos e possibilidades de estudo, como veremos abaixo:

• História, conceitos, bases legais e legislação para prescrição de Fitoterápicos e Plantas Medicinais; Farmacologia, toxicologia, interações e bases farmacêuticas; Semiologia, atendimento e Saúde integrativa; Fitogenômica e Fitoterapia Magistral;

• Fitoterapia nos Ciclos da Vida, Fitoterapia na imunidade e oncologia, Fitoterapia na Saúde do Homem, Fitoterapia na Saúde da Mulher, Ervas, temperos, especiarias, plantas alimentícias não convencionais e culinária curativa;

• Fitoterapia clínica no sistema gastrointestinal, detoxificação e disbiose, Fitoterapia clínica no sistema endócrino e modulação hormonal, Fitoterapia clínica no sistema osteoarticular, inflamação e dor, Fitoterapia clínica no sistema urinário e respiratório, Fitoterapia clínica no sistema cardiovascular e síndrome metabólica;

• Fitoterapia na cicatrização de feridas, Fitoterapia nas Desordens Estéticas, Fitoterapia na performace e rendimento esportivo, Fitoterapia na saúde emocional e doenças neurológicas, Fitoterapia na obesidade, gerenciamento de peso e compulsão alimentar;

• Práticas Integrativas Complementares e Políticas Públicas para Prescrição de Fitoterápicos e Plantas Medicinais, Fitoterapia e Medicina Tradicional Chinesa, Fitoterapia e Medicina Ayurvédica, Aromoterapia e Florais, Avanços e desafios da cannabis no uso medicinal.

 

Quem pode exercer a Fitoterapia

A partir de 2018, a prescrição de medicamentos fitoterápicos, de produtos tradicionais fitoterápicos e de preparações magistrais de fitoterápicos se tornou restrita somente aos nutricionistas portadores de título de especialista em Fitoterapia.

Aos outros profissionais, resta apenas a possibilidade de prescrição de plantas “in natura” e chás medicinais.

A Resolução do CFN nº 680/2021 regulamenta a prática da Fitoterapia por nutricionistas especializados em Fitoterapia. De acordo com a própria resolução, esse curso de especialização precisa ser regulamentado pelo MEC

Dessa forma, portanto, cabe exclusivamente ao nutricionista devidamente habilitado a possibilidade de prescrição de fitoterápicos. Já ao nutricionista sem habilitação superior específica em Fitoterapia, é permitida a prescrição de plantas medicinais e drogas vegetais preparadas unicamente por infusão, decocção e maceração.

 

Porque se especializar em Fitoterapia

A utilização da Fitoterapia vem crescendo consideravelmente entre as escolhas de tratamento para a população brasileira e até mundial.

No Brasil, a Fitoterapia vem sofrendo avanços tanto na área clínica quanto de pesquisa, que possibilitam o desenvolvimento de fitoterápicos cada vez mais seguros e eficazes.

Associado a este crescimento, observa-se também um aumento na busca por parte da população de terapias complementares que promovam resultados positivos acrescentando mais saúde e qualidade de vida de forma geral.

O fato de que apenas nutricionistas especializados no tema possam prescrever medicamentos fitoterápicos, que também estão com demanda cada vez maior, demonstra a crescente necessidade que o mercado possui atualmente por profissionais dedicados a essa área.

 

Aprofunde seu conhecimento

Para os interessados em aprofundar o seu conhecimento em Fitoterapia, a Faculdade iPGS possui um curso de pós-graduação inteiramente destinado ao tema, a Especialização em Fitoterapia Clínica Integrativa.

O Programa de Pós-Graduação em Fitoterapia Clínica capacita os profissionais da saúde a praticar a prescrição pautada no uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos, com base na tradicionalidade de uso e em evidências científicas, cumprindo as resoluções específicas dos conselhos federais de cada profissão.

Além de trazer todas as novidades da área, o curso também proporciona a todos os seus alunos a possibilidade de prescrição de fitoterápicos a seus pacientes.

A pós-graduação é certificada pelo MEC e tem duração de 9 meses, com a carga horária exigida pelo CFN para solicitação do título de especialista. Como o curso é EaD, assim que o aluno conclui sua inscrição, pode iniciar os estudos imediatamente. Não deixe de conferir a página do curso e saber todas as informações!

 

FAQ

O que é Fitoterapia?

A ciência que integra o uso de plantas medicinais a tratamentos de saúde.

O que são fitoterápicos?

Medicamentos específicos extraídos de plantas medicinais.

Quem pode prescrever o uso de fitoterápicos?

Apenas profissionais devidamente habilitados com cursos de especialização na área.

Qual é a duração do curso de especialização em Fitoterapia da Faculdade iPGS?

9 meses.