Entenda a Nutrição em Patologias e o seu crescimento recente

O estudo e a prática da Nutrição em diferentes áreas têm se fortalecido cada vez mais nos últimos anos. Neste contexto, um dos segmentos que mais estão se desenvolvendo é a Nutrição em Patologias.

A Nutrição em Patologias investiga a relação da alimentação com a prevenção e o tratamento de doenças e distúrbios. Após o início da atual pandemia, o interesse nessa área cresceu ainda mais.

Por isso, esse será o tema do nosso post de hoje do blog!

Ao longo do texto, vamos ampliar um pouco a explicação sobre Nutrição e Patologias, vamos falar das patologias da mente, do Outubro Rosa e do Novembro Azul, da nutrição em doenças específicas e também da especialização profissional nessa área.

Pronto para receber todas essas informações?

É só conferir o post completo aqui embaixo!

 

Sumário

Nutrição em Patologias

Nutrição e Patologias da Mente

Nutrição e Patologias Específicas

• Oncologia

• Outubro Rosa

• Novembro Azul

• Diabetes

• Doenças Cardiovasculares

Pós-Graduação em Nutrição Clínica em Patologias

 

Nutrição em Patologias

Como observado na introdução, a área da Nutrição em Patologias foca o seu objeto de estudo principalmente na alimentação das pessoas e sua relação com a prevenção e o tratamento de doenças.

Isso ocorre porque a nutrição tem uma grande influência na saúde humana, podendo impactar positivamente, quando bem direcionada, e negativamente, quando for deficiente às necessidades do paciente.

Em pacientes que fazem um acompanhamento nutricional regular, o profissional pode fazer um trabalho preventivo com o tipo de dieta receitada. Essa orientação pode inclusive ser direcionada com possíveis aspectos de risco que o paciente possa ter, como hábitos não saudáveis ou histórico de doenças na família.

No caso de pacientes que já sofrem com alguma patologia, a intervenção nutricional realizada deve ser no sentido de tratar essa condição da melhor forma. A nutrição pode tanto ajudar a reduzir possíveis sintomas que o paciente venha sentindo, tratar a causa da patologia ou mesmo ainda colaborar para a sua recuperação plena.

Cada condição patológica diferente se relaciona e é impactada de forma distinta pela Nutrição e a intervenção nutricional aplicada. Por isso, as orientações dos tratamentos devem ser sempre elaborados especificamente para patologia, também levando as características pessoais e o quadro individual do paciente.

Em razão da crescente atenção que essa área vem recebendo, o mercado profissional da Nutrição vem apresentando uma alta demanda por nutricionistas que atuem neste segmento. Com o surgimento da pandemia, a atenção à saúde ganhou um interesse muito grande por parte do poder público e da iniciativa privada, ampliando ainda mais a necessidade de profissionais especializados nesta área.

 

Nutrição e Patologias da Mente

Todo mundo já ouviu falar sobre depressão em algum momento, principalmente com o aumento do espaço de fala sobre problemas psicológicos. Isso acontece pelo aumento da prevalência, que chega em aproximadamente 15% no Brasil.

Essa patologia é uma das principais doenças da mente atuais. Se caracteriza por uma sensação de tristeza persistente e pela perda de interesse em atividades que normalmente são prazerosas, acompanhadas da incapacidade de realizar atividades diárias durante um período.

As causas para o seu surgimento podem ser de origem genética, bioquímica cerebral ou referente a eventos vitais. Entre seus fatores de risco estão histórico familiar, estresse e ansiedade crônica, doenças cardiovasculares, hormonais e outras.

As pessoas diagnosticadas com depressão costumam apresentar mais de um sintoma: perda de energia, mudanças no apetite, aumento ou redução do sono, ansiedade, perda de concentração, indecisão, inquietude, culpa ou desesperança e até pensamentos de causar danos a si mesmas. O tratamento é feito principalmente através da psicoterapia, com uso de medicamentos antidepressivos ou através da associação de ambos.

Contudo, um dos pontos que vem sendo cada vez mais estudado é a associação entre a nutrição e os transtornos psicológicos e mentais, incluindo a depressão. Esse novo campo vem mostrando que a qualidade da dieta pode ser um fator modificável, mostrando que um padrão de dieta saudável reduz o risco de depressão.

Este padrão de alimentação saudável de baseia no consumo de vegetais, frutas, grãos integrais, nozes, sementes, peixe e uma quantidade pequena ou inexistente de alimentos processados.

Em contrapartida, o consumo de muitos alimentos processados, ricos em gordura e açúcar, durante a adolescência e a idade adulta estão associadas significativamente ao desenvolvimento de ansiedade e depressão e outras patologias mentais.

 

Nutrição em Patologias Específicas

Como a Nutrição ajuda a combater diferentes doenças, seus efeitos e impactos diferem em cada patologia. A seguir, destacamos algumas das principais dentro desta relação.

 

Nutrição em Oncologia

Devido à crescente estimativa de novos casos de câncer no mundo, e da influência de múltiplos fatores no seu desenvolvimento, faz-se necessário conhecer as características desta doença e as estratégias eficazes para o seu tratamento e prevenção.

Do diagnóstico ao tratamento, a avaliação do estado nutricional, a intervenção precoce e o acompanhamento nutricional são essenciais para dar o suporte necessário ao organismo e para o enfrentamento de todas as etapas da terapia.

Devemos ter em mente que a nossa idade e o nosso histórico familiar, riscos importantes de desenvolvimento desta patologia, não podem ser alterados, mas o nosso padrão alimentar sim. Portanto, manter ou adquirir uma alimentação adequada e saudável é fundamental para reduzir estes riscos, assim como também para o seu tratamento.

 

Outubro Rosa

Já mencionamos que muitas doenças graves que desenvolvemos têm relação direta com desequilíbrios alimentares e nutricionais. Em referência ao câncer de mama, isso não é diferente.

De início, um fator de risco para o desenvolvimento do câncer de mama, já comprovado por estudos, é o próprio sobrepeso. Além disso, a obesidade também aumenta em pelo menos 20% o risco de morte em pacientes com a doença.

Desse modo, manter uma alimentação saudável e equilibrada é importante tanto para a prevenção quanto para o tratamento deste câncer.

Para ter uma alimentação mais saudável e ajudar a prevenir essa patologia, portanto, devemos seguir algumas dicas nutricionais gerais. A primeira é reduzir o consumo de gorduras saturadas, substituindo por gorduras insaturadas, que são encontradas em peixes, oleaginosas e outros alimentos de origem vegetal, como frutas, verduras e legumes.

Além das gorduras saturadas, também é recomendável reduzir o consumo de comidas ultraprocessadas, bebidas artificialmente açucaradas, como refrigerantes, e também de bebidas alcoólicas, que representam mais um fator de risco especial ao desenvolvimento do câncer de mama.

Também é fundamental lembrar que, nos pacientes com câncer, não só de mama, é comum ocorrer desnutrição calórica e proteica. Isso ocorre em função de alterações metabólicas, redução do apetite, dificuldades para mastigar e engolir alimentos e até efeitos colaterais de tratamentos. Essas ocorrências podem ser ainda agravadas caso o paciente não mantenha uma alimentação adequada neste período.

Ainda, é igualmente importante seguir essas recomendações alimentares mesmo após o tratamento finalizado, caso o paciente esteja livre da doença, para prevenir o retorno da mesma e até impedir que um novo tipo de câncer se desenvolva. Para complementar as dicas de alimentação, é essencial a prática de atividades físicas.

 

Novembro Azul

O câncer de próstata é muito recorrente na população masculina, sendo o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens. A fim de chamar atenção para esse fato e gerar mais debate sobre o tema, em 2003 foi criado o Novembro Azul, na Austrália, que rapidamente se difundiu pelo mundo.

Alguns fatores influenciam na maior incidência da doença, como a idade, o histórico familiar e a alimentação. Homens a partir dos 40 anos já devem começar a fazer os exames necessários para prevenir ou detectar o câncer de próstata, pois nessa idade os casos começam a aumentar consideravelmente.

Pessoas que possuem parentes de primeiro grau que já foram acometidos pela doença devem reforçar seus cuidados de prevenção, já que também sofrem riscos maiores de desenvolvê-la. Apesar da taxa de mortalidade não ser das maiores, considerando todos os tipos de câncer, o diagnóstico precoce da doença é fundamental para o seu tratamento e cura, o que reforça ainda mais a necessidade da realização dos exames de detecção.

Assim como ocorre no câncer de mama, bons hábitos alimentares são fundamentais para prevenção do câncer de próstata. A recomendação geral é seguir uma dieta equilibrada e que contemple todos os nutrientes indispensáveis, com foco no consumo de alimentos que naturalmente possuem antioxidantes e outras substâncias anticancerígenas.

Por isso, é essencial o consumo de alimentos como frutas, verduras, legumes, cereais, alimentos integrais, óleos vegetais e peixes ricos em ômega-3. São também exemplos de alimentos com essas propriedades o tomate, a goiaba, brócolis, couve, repolho, rabanete, cenoura, linhaça, cacau, azeite de oliva e oleaginosas.

Entre os peixes, podemos destacar o salmão, a sardinha e o atum. Ainda, é importante salientar que também existem certos tipos de alimentos que devem ser evitados, como os ultra processados, industrializados, embutidos ou com excesso de açúcar, sódio e gorduras.

É relevante também ressaltar que é indispensável a orientação profissional com um nutricionista, capaz de fazer orientações individualizadas a cada paciente.

 

Nutrição e Diabetes

O diabetes mellitus (DM) é uma patologia de grande prevalência global. Atualmente, conforme dados da Federação Internacional de Diabetes, estima-se que a população mundial com diabetes seja da ordem de 415 milhões, e que alcance 642 milhões em 2040.

Sua natureza crônica, a gravidade das complicações e os meios necessários para controlá-la tornam o DM uma doença muito onerosa não apenas para os indivíduos afetados e suas famílias, mas também para o sistema de saúde.

Tanto na prevenção quanto no tratamento do diabetes, a alimentação representa fator primordial, e práticas alimentares saudáveis devem ser buscadas pelos indivíduos e sempre estimuladas pelos profissionais de saúde.

O nutricionista que atua nesta área precisa estudar a epidemiologia, o diagnóstico e o tratamento clínico do diabetes tipo 1, o monitoramento da glicemia e as formas de obter controle glicêmico satisfatório.

Além disso, o foco principal do profissional deverá ser o cuidado de nutrição no DM1, que engloba desde a avaliação do estado nutricional e necessidades de macro e micronutrientes, elaboração do plano alimentar, até condutas específicas na hipo e hiperglicemia e a alimentação em dias de festa.

 

Nutrição e Doenças Cardiovasculares

Da mesma forma que ocorre em outras patologias, praticar uma nutrição adequada também ajuda a afastar os riscos de os pacientes desenvolverem doenças cardiovasculares.

Manter uma dieta saudável, além de outros benefícios, ajuda a controlar um eventual sobrepeso. O controle do peso é muito importante para afastar o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, pois o acúmulo de gordura é um fator que influencia diretamente no desenvolvimento dessas patologias.

Por isso, é importante combinar uma nutrição adequada à prática de esportes. As atividades físicas, além de ajudar a controlar o peso do paciente, também fortalecem o seu sistema cardiovascular.

Em adição ao impacto na manutenção de um peso adequado, é importante manter hábitos alimentares saudáveis também para controlar outros índices corporais que se refletem no estado de saúde de cada um.

É o caso, por exemplo, dos níveis da pressão e do colesterol. Quando estes índices estão fora das medidas indicadas pelos médicos, também representam grande risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

 

Pós-Graduação em Nutrição Clínica em Patologias

Para quem busca aprofundar a sua formação profissional e se tornar especialista em Nutrição em Patologias, a Faculdade iPGS dispõe de um programa de pós-graduação inteiramente dedicado à área.

O curso ampliará a compreensão do aluno referente à relação entre a nutrição e as fases de saúde e doença dos pacientes, atualizando também o conhecimento do profissional em terapia nutricional, através do estímulo à reflexão crítica e da associação entre teoria e prática.

São abordadas ao longo do curso as principais doenças que acometem a população, como algumas das mencionadas aqui, com enfoque na elaboração do plano nutricional respectivo para a sua prevenção ou para o seu tratamento.

Ademais, são estudadas técnicas dietéticas e gastronômicas que auxiliam na preservação e no melhor aproveitamento de nutrientes, favorecendo a recuperação do paciente.

Se você busca um diploma de especialização em uma das áreas em maior demanda dentro da Nutrição atualmente, podendo trabalhar em hospitais, clínicas particulares, no sistema de saúde público, em consultórios e também com pesquisa, esse curso é ideal!

Agradecemos a sua leitura, até o próximo post!