Anamnese Nutricional: todas as suas dúvidas respondidas aqui

Anamnese nutricional é um termo que todos os nutricionistas conhecem, praticamente desde a graduação. Contudo, ainda há muita dúvida, tanto entre profissionais mais jovens quanto até os mais experientes, em como realizar o processo adequadamente.

Por essa razão, resolvemos compartilhar esse post com vocês. Aqui, vamos tirar todas as dúvidas sobre todo o procedimento. Vamos falar sobre a definição de anamnese nutricional, como realizar, e qual a sua importância no atendimento ao paciente.

Pronto para aprender tudo isso? Então é só curtir o texto do nosso post abaixo :)

 

Sumário

• Anamnese o que é?

Como fazer a Ficha de Anamnese?

Qual a importância da Anamnese Clínica?

Dica Final

 

Anamnese o que é?

É possível afirmar que uma anamnese completa é o ponto de partida para qualquer atendimento de um nutricionista com os seus pacientes. Por isso, é fundamental que esse processo seja muito bem-feito, pois a anamnese nutricional pode basear todo o atendimento a partir dali.

Mas afinal, o que é Anamnese? Como definição clara e objetiva, a anamnese nutricional é um questionário aplicado pelo nutricionista assim que ele começa a atender um novo paciente. Esta deve ser sempre a primeira etapa de um novo atendimento. Assim, o nutricionista irá conhecer o seu paciente mais a fundo, e poderá planejar o plano nutricional deste paciente de forma mais adequada e precisa.

Para a anamnese nutricional ser bem sucedida, é importante que o nutricionista colete o máximo de informações relevantes no questionário. Para atingir esse objetivo, o profissional deverá “investigar” o histórico de alimentação e de saúde do paciente. Assim, após fazer uma identificação inicial, as perguntas do questionário devem ter este foco principal: os hábitos alimentares do paciente, a sua frequência praticando atividades físicas, um possível tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas, suas eventuais doenças crônicas e temporárias, os antecedentes familiares e também os objetivos nutricionais que o paciente almeja alcançar.

O questionário não deve apenas abordar os aspectos mencionados acima. É também muito importante que o nutricionista faça perguntas para o paciente a fim de entender o seu histórico psicológico. Possíveis distúrbios psicológicos, e desequilíbrios emocionais, estão diretamente relacionados às escolhas alimentares e aos hábitos cotidianos de cada. A anamnese nutrição comportamental, está cada vez mais comprovada essa relação, que é o principal campo de estudo do Comportamento Alimentar.

Para complementar o questionário, o ideal é que o nutricionista também realize uma análise geral da saúde do paciente. Para isso, o profissional pode fazer uma avaliação clínica, antropométrica e de consumo energético da pessoa sendo atendida, principalmente na quando ocorre a consulta.

Apesar da necessidade de realizar a anamnese nutricional na primeira consulta, o processo não acaba por aí. As informações coletadas na primeira consulta devem ser adequadamente armazenadas, com segurança e sigilo garantidos. Contudo, os dados devem ser novamente acessados e atualizados a cada nova consulta, de modo que haja um acompanhamento dos hábitos do paciente para efetuar possíveis reajustes do plano nutricional elaborado.

Para coletar e armazenar os dados da melhor forma possível, é primordial que o nutricionista utilize um programa, ou software, adequado para a função. Hoje, há diversas opções disponíveis no mercado, algo que não acontecia há alguns anos. Além de proteger os dados obtidos junto aos pacientes, um software eficiente também ajuda o profissional a cruzar e interpretar os dados de forma mais otimizada e eficaz.

Leia também: A Terapia Nutricional e sua crescente importância nos tratamentos de saúde


Como fazer a Ficha de Anamnese?

Como mencionado anteriormente, a anamnese nutricional pode ser definida como um questionário a ser aplicado na primeira consulta com os pacientes. Além disso, deve ser constantemente monitorada e atualizada, de acordo com a evolução do paciente e do tratamento aplicado a ele. Por fim, o questionário também deve ser complementado com uma avaliação clínica geral do paciente, para o profissional ter um entendimento mais abrangente do quadro clínico e da saúde do paciente.

Para realizar a anamnese alimentar, existem alguns passos que devem ser seguidos pelo nutricionista que irá aplicar o procedimento. Por exemplo, existem algumas perguntas do questionário não podem ficar de fora. Na fase de identificação do paciente, questões como o nome, endereço, idade, sexo e estado civil, que parecem até óbvias, são essenciais.

 

Da mesma forma, na avaliação do clínica do paciente, também existem algumas medidas óbvias que não podem ser esquecidas. Algumas delas são o peso, a altura, a circunferência e as dobras cutâneas. Agora, vamos ajudar você compartilhando um “passo a passo” padrão da realização da anamnese nutricional, tanto do questionário a ser aplicado quanto da avaliação clínica posterior.

Confira o passo a passo abaixo:

 

Passo 01: Identificação

O primeiro passo do questionário da anamnese nutricional é a fase da identificação. Nessa fase, é importante que o nutricionista levante todas as informações básicas relevantes do paciente, sem esquecer nenhum dos dados fundamentais.

Confira abaixo quais eles são:

• Nome Completo;
• Endereço;
• Estado Civil;
• Idade;
• Sexo;
• Profissão;
• Naturalidade;
• Escolaridade.

Além do endereço do paciente, é importante que o nutricionista também adicione à sua ficha um telefone de contato, possivelmente com o número que o paciente usa em aplicativos de mensagem instantânea, cada vez mais utilizados atualmente para comunicação. Ainda, também deve ser adicionado um endereço de email, para ser utilizado principalmente para comunicações mais formais ou institucionais.

 

Passo 02: Aprofundamento

Posteriormente à identificação, quando são levantadas as informações básicas mais relevantes, chega o momento de aprofundar as questões. Na segunda fase da anamnese nutricional, um perfil mais detalhado e específico do paciente começa a ser traçado. Dessa forma, é neste momento que devem ser feitas as questões que aprofundam o entendimento do nutricionista em relação a seu paciente.

Nessa fase, algumas das principais informações a ser obtidas para traçar um perfil mais detalhado do paciente são:

• Hábitos alimentares, informando sua dieta regular de café da manhã, almoço, janta e demais refeições secundárias, incluindo tanto os alimentos que são comumente consumidos quanto às quantidades consumidas pelo paciente.

• Prática de atividades físicas, informando quais exercícios específicos o paciente costuma praticar, incluindo também a frequência e a localidade onde as atividades são realizadas.

• Histórico de saúde, informando todas as patologias que o paciente tem atualmente ou que já teve, sejam enfermidades crônicas ou temporárias, incluindo possíveis traumas e infecções.

• Histórico familiar, informando se há patologias ou condições especiais de saúde relevantes na sua família, incluindo principalmente pais, avós, irmão e tios.

• Tabagismo e bebidas alcóolicas, informando se o paciente tem o hábito de fumar cigarros e consumir bebidas alcóolicas, e com qual frequência ele tem esse hábito.

• Perfil psicológico, informando se o paciente possui algum distúrbio psicológico ou algum desequilíbrio relevante que possa influenciar negativamente a sua escolha por alimentos.

Esses são algumas questões centrais básicas que devem constar na anamnese nutricional que os nutricionistas aplicam aos pacientes. A partir deste ponto de partida, cada profissional poderá adicionar as questões que julgar mais adequadas para a avaliação e elaboração do perfil específico de seus pacientes.

 

Passo 03: Análise Clínica

Nesta fase, o nutricionista deverá realizar uma avaliação clínica do paciente, para complementar seu perfil com as informações médicas mais relevantes. Para iniciar esta fase, o profissional pode se valer das informações do histórico de saúde e familiar, e ver se há algum dado relevante a partir daí.

Depois, o nutricionista deve adquirir as informações específicas do paciente sendo analisado, investigando se ele faz uso de algum medicamento, de forma fixa ou temporária, e se ele realiza exames laboratoriais com frequência, por exemplo, e se alguma coisa diferente no aspecto físico do paciente chama a atenção do nutricionista.

 

Passo 04: Avaliação Completa

Por fim, como complemento ao questionário e à análise clínica, o nutricionista deve fazer no paciente uma avaliação completa. Nesta fase, portanto, o profissional pode realizar a avaliação antropométrica, medindo altura, peso e circunferência. Depois, pode ser feita uma análise mais detalhada do consumo energético do paciente, calculando seu gasto energético e a taxa de metabolismo basal.

Por fim, o nutricionista pode solicitar ao paciente a realização de exames laboratoriais, incluindo coleta de sangue, fezes e urina, para ajudar a verificar a ocorrência de possíveis doenças e distúrbios e também finalizar o diagnóstico nutricional. A partir do resultado de todas essas informações, portanto, o nutricionista será capaz de traçar o perfil completo de seu paciente, e assim elaborar o plano nutricional mais adequado a ele.

Leia também: Metodologias Ativas de Aprendizagem, Inovações Tecnológicas e Ensino a Distância: saiba tudo sobre isto

 

Qual a importância da Anamnese Clínica?

Como você já deve ter compreendido a partir das informações relatas ao longo do texto, a realização da anamnese nutricional é absolutamente fundamental para o sucesso de qualquer atendimento. É a partir das informações obtidas neste processo que o nutricionista irá entender o perfil de seu paciente, e assim elaborar o plano alimentar e nutricional específico adequado a ele.

Para o profissional, é importante também que este possua um questionário padrão para aplicação em seus pacientes. Assim, o tempo da consulta é otimizado, e a interação entre nutricionista e paciente fica mais eficiente. De qualquer forma, como cada paciente possui um quadro específico, o profissional também deve ter espaço para flexibilizar o questionário padrão e incluir questões pertinentes à pessoa sendo atendida.

Após o recebimento de todas essas informações, portanto o nutricionista será capaz de definir a melhor estratégia para realizar o tratamento que o paciente precisa, ou, ainda, buscar os objetivos que o paciente deseja. Depois da consulta inicial, o profissional deverá continuar monitorando a evolução do paciente, e como ele tem cumprido as recomendações e estratégias traçadas em seu plano. Por isso, novos ajustes e atualizações podem ser feitos às informações inicialmente recebidas.

Aqui, ressaltamos novamente a importância de possuir um bom sistema de gestão dessas informações. Tudo que o paciente compartilhar com o profissional deve ser mantido em sigilo, e os dados devem permanecer em segurança. Ainda, um software eficiente contribui para a melhor organização dos dados, facilitando sua leitura e interpretação por parte do nutricionista na hora de elaborar e atualizar o plano nutricional de cada paciente.

Leia também: Conheça os 11 Cursos Rápidos de Nutrição e Saúde mais procurados

 

Dica Final

A realização da anamnese nutricional é um passo fundamental na atuação de todo nutricionista. Contudo, muitos profissionais ainda tem deficiência para realizar esta atividade, ou mesmo outras dentro do seu consultório.
Por isso, para os profissionais, ou estudantes, que desejam aprimorar a realização desta e de outras atividades, uma boa dica é realizar um curso complementar de formação, ou de atualização profissional.

Na Faculdade iPGS, temos alguns Cursos Livres disponíveis que certamente ajudarão qualquer nutricionista com essa ou outras dificuldades. Para visualizar todas as opções, basta você acessar o seguinte link.

Se houver qualquer dúvida em relação a este texto, ou se você deseja fazer algum comentário, pode entrar em contato conosco diretamente aqui ou através de quaisquer dos nossos meios de comunicação oficial.

Obrigado pela leitura, e até o próximo post.